Video Screencast Help
Symantec to Separate Into Two Focused, Industry-Leading Technology Companies. Learn more.

Migração de Storage com Storage Foundation, SEM Dor

Created: 06 Mar 2014 • Updated: 06 Mar 2014
RAPHAEL F CARVALHO's picture
+1 1 Vote
Login to vote

Cena comum no departamento de TI de praticamente qualquer empresa: Precisamos comprar um novo Storage!

Seja porque o Storage atual está próximo a ficar sem garantia, ou não suporta mais a performance dos ambientes a que serve, ou mesmo a necessidade de mais espaço, em algum momento essa discussão vai aparecer.

Apesar de aparentemente ser uma decisão simples, há algumas variáveis relevantes na escolha de um novo Storage, além da performance e espaço disponível:

  1. Adquirir do mesmo fornecedor ou de um novo fornecedor
  2. Alguns dos meus sistemas atuais precisam de mais espaço ou de mais performance, como integrar ou migrar para o novo Storage, os sistemas já existentes
  3. Alguns sistemas cíticos podem ter janelas de manutenção muito curtas, a migração poderá não caber

A família Storage Foundation tem tantas funcionalidades e capacidades, que as vezes nos esquecemos de algumas, que respondem a dilemas do dia-a-dia.

Com relação a escolha do fornecedor, a primeira consideração é identificar o seu nível de lock-in com o fornecedor atual. Lock-in, traduzido diretamente, significa 'prender' e, é exatamente o que quase todos os fornecedores de Storage fazem com seus clientes.

Digamos que, por razões de performance, você use um software de multi-pathing fornecido pelo seu fornecedor atual de Storage. Sem dúvidas, qualquer software de multi-pathing é melhor que o multi-pathing (MPIO) nativo dos principais sistemas operacionais. Apesar de, na lista de preços dos fabricantes de Storage, esses softwares constarem como pagos, muitas e muitas vezes eles são fornecidos "de graça" junto com a aquisição do Storage ou, são empurrados no processo, com o argumento de que, como são do mesmo fornecedor, obtém a melhor performance com aquele determinado modelo.

Existem comparativos entre softwares de multi-pathing na internet. Do ponto de vista de performance, geralmente o VxDMP (que vem junto ao Storage Foundation ou pode ser adquirido a parte) é similar ou melhor que os softwares concorrentes nesse aspécto mas, tem muito mais funcionalidades que os demais,além de mais fácil de gerenciar e realizar troubleshooting. Esse comparativo não é o foco desse artigo (mais informações sobre o DMP, http://www.symantec.com/dynamic-multi-pathing). O fato que realmente importa no caso em questão é que, enquanto os multi-pathings dos fornecedores de Storage suportam apenas seus próprios Storages e talvéz mais poucos modelos de concorrentes, o VxDMP suporta mais de 1000 modelos, de mais de 50 famílias, de todos os principais fabricantes (https://sort.symantec.com/hclcentral/diskarray). Por que isso é importante? Se você usa um multi-pathing de um fornecedor específico e precisa ampliar a capacidade daquele servidor, só poderá faze-lo apresentando discos compatíveis com o software de multi-pathing. Chamamos isso na indústria de TI de "vendor lock-in", em tradução livre, "aprisionamento do fabricante". Isso muitas vezes é proposital, pois força o cliente a comprar apenas daquela marca ou das que oferece suporte.

A migração de dados em si também é muitas vezes um desafio.

  • Se o novo Storage é de um mesmo fabricante, muitas vezes ele é capaz de oferecer ferramentas de cópia ou migração de LUNs via SAN, que vão demandar um tempo de cópia menor. Geralmente, a migração de dados, mesmo via SAN, exige indisponibilidade (downtime).
  • Se o novo Storage é de um novo fornecedor, o desafio é provavelmente maior. Geralmente as opções são:
  1. Backup/Restore
  2. Alguma ferramenta de cópia via LAN (ex. robocop)
  3. Algum virtualizador de storage na SAN

Com excessão da alternativa 3, todas as demais exigem indisponibilidade, para que seja possível efetuar uma migração integra dos dados. A alternativa 3 permite efetuar essa migração de forma online, mas exige certa rearquitetura do ambiente, além de ser bastante custoso.

Aqui entra a funcionalidade que gostaria de discutir, inclusa no Storage Foundation. Uma vez que você perceber que não está preso ao seu fornecedor de Storage, ou mitigar isso com o uso de um software de multi-pathing com maior abrangência, como o VxDMP, por exemplo. 

O Storage Foundation permite a migração de dados entre Storages de mesmo fornecedor, ou de fornecedores diferentes, ONLINE, SEM downtime. A razão disso ser relevante, é liberta-lo, tanto do "lock-in" do seu fornecedor atual, como do "lock-in" do novo fornecedor. Você não tem mais que optar por um fornecedor (o seu atual provavelmente), porque ele é o único capaz de efetuar a migração de dados um pouco mais rápido, via SAN, versus as opções de cópia pela rede ou backup/restore.

Além disso, digamos que estou trocando um Storage antigo, sem provisionamento dinámico (thin-provisioning), para um novo, com provisionamento dinámico. Ao efetuar a migração via SAN pelas ferramentas dos fornecedores de Storage, o volume geralmente irá ser migrado as-is (como está) logo, para aqueles dados migrados por esse modelo, nenhuma otimização será obtida de inicio.

Ao efetuar a migração via Storage Foundation, além de não precisar de uma janela de downtime para efetuar a migração, os dados já são migrados otimizados logo, ao sair de um cenário de provisionamento integral para um cenário de provisionamento dinámico, o Storage Foundation será capaz de migrar o volume de forma já otimizada.

Mas, e se o servidor não tiver Storage Foundation instalado?

  • Instalar o Storage Foundation para realizar essa tarefa é bastante simples
  • Basta instalar o software (alguns sistemas operacionais podem exigir reboot), colocar os volumes existentes sobre controle do SF Volume Manager
  • Adicionar as novas áreas de disco ao servidor
  • Efetuar a migração, seja através do SF Volume Manager ou de forma agendada e centralizada pelo servidor de gerência, Veritas Operations Manager (VOM)

Ao fazer o processo acima, o Storage Foundation se encarrega de, sincronizar os volumes e, uma vez consistentes, quebrar o sincronismo e isolar os discos antigos para remoção.

Alguns vídeos sugeridos para entender o processo: