SOBRE A SYMANTEC

  • Compartilhar

News Release

Empresas são expostas a riscos devido a planejamento e testes insuficientes de recuperação de desastre

Pesquisa da Symantec revela que quase metade dos testes conduzidos de cenário completo falham

Cupertino, Califórnia - 14 de novembro de 2007- A Symantec Corp. (Nasdaq: SYMC) anunciou hoje os resultados de um estudo internacional indicando que, embora 91% das organizações de TI executam testes de cenário completo de seus planos de recuperação de desastre, incorporando as pessoas, processos e tecnologias relevantes, quase metade desses testes falha. Essa alta taxa de falha em testes de recuperação de desastre deixa cada vez mais as empresas sob risco de conseqüências negativas e caras, caso um desastre afete aplicativos e serviços missão-críticos. O estudo também descobriu que as conseqüências mais temidas de desastres entre os profissionais de TI incluem o dano à marca ou reputação da empresa, impacto negativo sobre a fidelidade geral de clientes, prejuízos em seu posicionamento competitivo e perda de informações da empresa.

Quase metade das organizações entrevistadas já executaram seu plano de recuperação de desastre
Planos de recuperação de desastre costumavam ser documentos que empresas torciam para nunca precisar usar.  Os resultados da pesquisa revelam que quase metade das organizações de TI tiveram que colocar em prática os planos de recuperação de desastre da empresa. Embora os entrevistados tenham reconhecido que planejamento e testes são importantes, muitos profissionais de TI falharam em estabelecer as medidas apropriadas para garantir que planos de recuperação de desastre cumpram objetivos críticos de tempo de recuperação (RTOs) e objetivos de ponto de recuperação (RPOs). De acordo com os resultados da pesquisa:
- 48% das organizações tiveram que implementar seus planos de recuperação de desastre.
- 44% das organizações sem um plano de recuperação de desastre passaram por algum problema ou desastre,
- 26% tiveram dois ou mais,
- 11% enfrentaram 3 ou mais.
Os resultados do estudo também revelaram que os entrevistados se preocupam com vários aspectos:
- 69% dos entrevistados estão preocupados com os danos à marca e reputação de sua empresa,
- 65% se preocupam com o impacto na lealdade geral de clientes,
- 65% estão preocupados com o impacto em seu posicionamento competitivo,
- 64% se preocupam em perder dados corporativos em desastres.
 Apesar dessas preocupações e dos rígidos requisitos legais e pesadas multas em que empresas podem incorrer caso não garantam o estabelecimento de planos apropriados de recuperação de desastre, o estudo também indica que 77% dos CEOs ainda falham em assumir um papel ativo nos comitês de planejamento de desastre.

Resultados revelam métodos de teste e planejamento incompletos para recuperação de desastre
Embora a maioria dos entrevistados tenha declarado que testa seus planos de recuperação de desastre, os entrevistados indicaram que, mesmo quando os testes funcionam, o teste de planejamento e as avaliações de probabilidade e impacto não são abrangentes, deixando preocupações quanto à eficácia real de seus esforços.

Enquanto 88% dos profissionais de TI executaram uma avaliação de probabilidade e impacto para pelo menos uma ameaça, apenas 40% fizeram isso para todas as ameaças, e 12% não executaram qualquer avaliação de probabilidade e impacto para qualquer ameaça. A gestão de mudanças de configuração foi a área de ameaça menos avaliada, e apenas 42% dos entrevistados que se sentiram expostos a essa ameaça efetivamente conduziram uma avaliação de probabilidade e impacto para a mesma.

Falha em se planejar para desastres traz múltiplos riscos
Várias preocupações têm levado organizações de TI a criarem planos de recuperação de desastre, com 69% citando desastres naturais, 57% citando ataques de vírus e 31% especificando guerra e/ou terrorismo. Entrevistados também se sentiram expostos a ameaças específicas de TI, com 67% citando falhas de computadores e 57% mencionando ameaças externas de computadores. Contudo, embora 89% dos entrevistados tenham acordado níveis aceitáveis de risco com executivos de negócio fora da área de TI na sua organização, apenas 33% fizeram isso para todas as ameaças às quais se sentiam expostos.

Resultados destacam necessidade de estratégias abrangentes de continuidade de negócios e recuperação de desastre
Para ajudar a garantir a continuidade de negócios, a Symantec recomenda que organizações adotem estratégias de recuperação de desastre para garantir a disponibilidade de dados e aplicativos em qualquer plataforma física ou virtual e qualquer distância. A Symantec oferece soluções e serviços líderes de indústria para ajudar organizações a construir estratégias de recuperação de desastre. Essas soluções incluem soluções de proteção de dados, provisionamento de servidores, agrupamento de aplicativos, gestão de armazenamento e replicação. A Symantec oferece serviços abrangentes que podem ajudar organizações a reduzir o impacto de indisponibilidade planejada e minimizar o tempo de indisponibilidade de aplicativos e dados causado por impactos não planejados. Esses serviços de consultoria incluem serviços de gestão de continuidade de negócios, gestão de continuidade de serviços de TI, alta disponibilidade e suporte.
Executivos de TI estão repensando profundamente suas estratégias de recuperação de desastre e continuidade de negócios , disse Sean Derrington, diretor de marketing de produtos de gestão de armazenamento da Symantec. Para se proteger contra indisponibilidade, organizações precisam implementar alta disponibilidade e recuperação de desastre em todos os seus ambientes corporativos. Elas também precisam manter procedimentos para testes de recuperação de desastre sem impacto negativo, para continuamente avaliar a eficácia de sua estratégia de recuperação de desastre sem prejudicar o ambiente de produção. A Symantec atende essas demandas críticas através de uma ampla variedade de serviços e soluções líderes de indústria para ambientes heterogêneos".

Sobre o relatório de pesquisa de recuperação de desastre da Symantec
O relatório da Pesquisa de Recuperação de Desastre da Symantec de 2007 é um estudo internacional que destaca tendências de negócio relacionadas a planejamento e preparação para desastres.  Conduzido pela empresa independente de pesquisa de mercado Dynamic Markets, durante junho e julho de 2007, o estudo entrevistou gerentes de TI em grandes organizações nos Estados Unidos, 11 países europeus, Oriente Médio e África do Sul para obter conhecimento e entendimento sobre alguns dos mais complicados fatores associados à recuperação de desastre.

Sobre a Symantec
A Symantec é líder mundial de software de infra-estrutura, permitindo que empresas e consumidores confiem em um mundo conectado. A empresa ajuda clientes a proteger suas infra-estruturas, informações e interações, fornecendo software e serviços que lidam com os riscos de segurança, disponibilidade, cumprimento e desempenho. Com sede em Cupertino, Califórnia, a Symantec opera em mais de 40 países. Mais informações estão disponíveis no endereço www.symantec.com.