SOBRE A SYMANTEC

  • Compartilhar

News Release

Symantec Revela Seis Custos Ocultos da Nuvem

A pesquisa global sobre o tema foi realizada entre 3.236 organizações em 29 países, incluindo o Brasil (com 102 companhias entrevistadas) e mostra que mais de 80 por cento das empresas brasileiras estão pelo menos discutindo a nuvem.
São Paulo, 29 de janeiro de 2013 - A Symantec Corp. (Nasdaq: SYMC) anunciou os resultados da Pesquisa 2013 sobre os Custos Ocultos da Nuvem , que mostra que as organizações estão migrando para a nuvem para obter vantagens competitivas em termos de velocidade, agilidade e flexibilidade. O estudo revela que 90 por cento das empresas mundiais e mais de 80 por cento das empresas brasileiras estão pelo menos discutindo sobre a adoção da nuvem - o número global era de 75 por cento há um ano. Outras descobertas importantes indicam que grandes empresas e PMEs estão observando custos crescentes atrelados ao ‘uso irregular’ das nuvens, backup/recuperação complexos e armazenamento ineficiente. O ‘uso irregular’ das nuvens é definido por grupos de negócios que implementam aplicações de nuvem pública que não são gerenciadas por ou integradas na infraestrutura de TI da companhia.

Analistas do setor preveem problemas sérios em 2013, com foco nas pressões financeiras e nos desafios de segurança impostos pela computação na nuvem. Tanto o Gartner quanto o IDC veem a continuidade dos negócios como um problema importante, com o aumento nas interrupções da nuvem representando mais riscos do que as violações de segurança. Com preparo antecipado, as organizações podem criar nuvens seguras, ágeis e eficientes que lhes permitam alcançar seus objetivos comerciais.

“A nuvem está atraindo muita atenção por sua grande vantagem no gerenciamento de custos, maior flexibilidade, disponibilidade e melhora da segurança e do controle dos dados. Planejamento e implementação cuidadosos permitirão às organizações aproveitar o pleno potencial da nuvem, ao mesmo tempo minimizando os desafios imprevistos e os custos crescentes”, afirmou Luiz Faro, Especialista em Segurança da Symantec no Brasil.

Implementações de ‘nuvens irregulares’
De acordo com a pesquisa, implementações que levam ao ‘uso irregular’ da nuvens são o primeiro tipo de armadilha. Trata-se de um problema surpreendentemente comum, encontrado em 82 por cento das empresas brasileiras no ano passado – resultado maior que o mundial, de 77 por cento. Também parece ser um problema vivenciado mundialmente mais pelas empresas de grande porte (83 por cento) do que pelas PMEs (70 Por cento).

Entre as organizações brasileiras que relataram problemas com uso irregular da nuvem, 38 por cento sofreu exposição de informações confidenciais e mais de três quartos (83 por cento) enfrentou problemas com invasão de contas, desfiguração de propriedades da Web ou roubo de produtos ou serviços. Os motivos citados no Brasil com mais frequência para justificar esses projetos de nuvens irregulares foram poupar tempo (46 por cento) e dinheiro (35 por cento).

Problemas com o backup e a recuperação da nuvem
A nuvem está complicando o backup e a recuperação de dados. Primeiro, a maioria das organizações globais usa três ou mais soluções para fazer backup de seus dados físicos, virtuais e na nuvem (61 por cento das organizações no Brasil), provocando um aumento dos custos de treinamento, ineficiências na TI e risco. No mundo, 47 por cento das empresas de grande porte e 36 por cento das PMEs perdeu dados na nuvem. No Brasil, o número é de 44 por cento e a maioria enfrentou falhas na recuperação.

Por fim, a maioria das empresas brasileiras vê a recuperação na nuvem como um processo lento e tedioso. Apenas 30 por cento acha o processo rápido e 16 por cento estima que levaria três ou mais dias para a recuperação de uma perda de dados catastrófica na nuvem. No mundo os números são parecidos: 32 por cento das empresas acha o processo rápido e 22 por centro acredita que levaria mais de três dias para a recuperação de dados.

Armazenamento ineficiente
Uma das principais vantagens do armazenamento na nuvem é a facilidade de oferta. Mas, às vezes, essa simplicidade leva ao armazenamento ineficiente. No mundo inteiro, as organizações se esforçam para manter uma taxa de utilização do armazenamento acima de 50 por cento. Contudo, de acordo com a pesquisa, a utilização global do armazenamento na nuvem é bastante baixa: 17 por cento. Existe uma grande diferença nessa área entre as grandes empresas (que utilizam 26 por cento de seu armazenamento) e as PMEs (com a taxa de apenas 7 por cento). Já no mercado brasileiro, 66 por cento das organizações admite que uma parte pequena de seus dados na nuvem tem eliminação de dados duplicados, agravando o problema.

Preocupações com conformidade e descoberta eletrônica
A pesquisa aponta que 49 por cento das empresas no mundo (46 por cento das brasileiras) se preocupam em cumprir os requisitos de conformidade na nuvem, e um número ligeiramente maior (53 por cento no mundo e 48 por cento no Brasil) em conseguir provar que cumpriu os requisitos de conformidade na nuvem. Essa preocupação com as informações na nuvem é bem fundada, pois 23 por cento das organizações mundiais e 30 por cento no Brasil foram multadas por violações de privacidade na nuvem.

A descoberta eletrônica está gerando uma pressão adicional sobre as empresas para localização rápida das informações. Um terço (68 por cento) das empresas no Brasil relatou receber solicitações de descoberta eletrônica para dados na nuvem. Dessas, dois terços perdeu os prazos de descoberta na nuvem, gerando multas e riscos jurídicos.

Problemas com dados em trânsito
Organizações têm todo tipo de ativos na nuvem — como propriedades da Web, negócios online ou aplicativos Web — que requerem certificados SSL para proteger os dados em trânsito; sejam informações pessoais ou financeiras, transações de negócios ou outras interações online. A pesquisa mostrou que as empresas consideraram o gerenciamento de muitos certificados SSL algo altamente complexo: apenas 27 por cento das empresas no mundo e 32 por cento no Brasil classifica o gerenciamento de certificados SSL como fácil. E 40 por cento das companhias no mundo inteiro (32 por cento no Brasil) tem certeza de que os certificados de seus parceiros na nuvem estão em conformidade com seus padrões corporativos.

Os custos ocultos são facilmente evitados
A pesquisa da Symantec mostra que ignorar esses custos ocultos trará um sério impacto sobre os negócios. Entretanto, esses problemas são facilmente atenuados com planejamento, implementação e gerenciamento cuidadosos:
  • Mantenha o foco das políticas nas informações e pessoas, não nas tecnologias ou plataformas;
  • Instrua, monitore e aplique políticas;
  • Adote ferramentas que independem da plataforma;
  • Elimine dados duplicados na nuvem.


Pesquisa 2013 sobre os Custos Ocultos da Nuvem da Symantec
A Pesquisa 2013 sobre os Custos Ocultos da Nuvem da Symantec é o resultado de um trabalho realizado pela ReRez em Setembro e Outubro de 2012. O estudo completo representa 3.236 organizações em 29 países, incluindo o Brasil (com 102 companhias entrevistadas). As respostas vieram de empresas com 5 até mais de 5.000 funcionários. Dessas respostas, 1.358 são de PMEs e 1.878 de empresas de grande porte.

Conecte-se com a Symantec
Siga @SymantecBR no Twitter

Sobre a Symantec
A Symantec protege informações de todo o mundo e é líder global em soluções de segurança, backup e disponibilidade. Nossos produtos e serviços inovadores protegem pessoas e informações em qualquer ambiente – desde o menor dispositivo móvel, até datacenters empresariais e sistemas baseados na nuvem. Nossa experiência líder de mercado em proteção de dados, identidades e interações proporciona aos nossos clientes confiança no mundo conectado. Informações adicionais estão disponíveis em www.symantec.com.br

OBSERVAÇÃO AOS EDITORES:se desejar obter mais informações sobre a Symantec Corporation e seus produtos, visite a Sala de imprensa da Symantec em www.symantec.com/pt/br/about/news. Symantec e o logotipo da Symantec são marcas comerciais ou registradas da Symantec Corporation ou de suas afiliadas nos Estados Unidos e em outros países. Outros nomes podem ser marcas comerciais de seus respectivos proprietários.

AFIRMAÇÕES ESPECULATIVAS:Todas as indicações especulativas de planos para produtos são preliminares, e todas as datas de lançamentos futuros são experimentais e estão sujeitas à alteração. Todos os lançamentos futuros do produto ou modificações planejadas nos recursos, funcionalidades ou habilidades do produto estão sujeitos à constante avaliação da Symantec, e poderão não ser implementados, não devendo ser considerados como compromissos firmados pela Symantec, nem considerados para decisões de compra.