SOBRE A SYMANTEC

  • Compartilhar
  1. /
  2. Pesquisa sobre Proteção de Infraestruturas Críticas
Pesquisa sobre Proteção de Infraestruturas Críticas(CIP)





Pesquisa sobre Proteção de Infraestruturas Críticas(CIP)

Pesquisa sobre Proteção de Infraestruturas Críticas(CIP)

A pesquisa da Symantec sobre Proteção de Infraestruturas Críticas é resultado de um estudo realizado em agosto e setembro de 2011 pela Applied Research, que entrevistou profissionais de TI e C-Level em pequenas e médias empresas e grandes companhias de 14 setores especificamente designados como de infraestrutura crítica. O relatório foi desenvolvido para examinar a informação, o engajamento e a preparação no que diz respeito aos programas CIP dos governos. A pesquisa incluiu 3.475 organizações de 37 países na América do Norte, EMEA (Europa, Oriente Médio e África), Ásia-Pacífico e América Latina, incluindo países como Argentina, Brasil, Colômbia e México.
Principais resultados
A pesquisa revelou uma queda na informação e no engajamento em nível global, de acordo com o Índice de Participação CIP. Em comparação com 2010, as empresas pesquisadas em 2011 registraram um índice de 82 por cento em programas governamentais de proteção, o que representa uma queda significativa de 18 pontos em relação à edição anterior. Na América Latina, o Índice de Participação é um pouco mais alto, 88 por cento. Os provedores de infraestruturas críticas vêm de setores com tanta importância que, se suas redes fossem atacadas e desativadas, isso resultaria em uma real ameaça à segurança nacional.
  • Menor informação e engajamento em programas CIP do governo. Este ano, as empresas, de modo geral, mostraram-se menos informadas em relação aos programas CIP do governo.
  • Um pouco mais de ambivalência em relação aos programas CIP do governo. A pesquisa também revelou que as empresas estão mais ambivalentes em 2011 do que foram em 2010 em relação aos programas CIP do governo.
  • Organizações globais se sentem menos preparadas. Não é surpreendente que, à medida que cai a avaliação de uma organização em relação às ameaças, seu nível de preparação caia também.
Recomendações para garantir resiliência contra ciberataques a infraestruturas críticas:
  • Desenvolver e aplicar políticas de TI e automatizar processos de conformidade.
  • Proteger as informações de forma proativa, tendo uma abordagem centrada nas informações para proteger tanto elas quanto as interações.
  • Gerenciar os sistemas através da implementação de ambientes operacionais seguros.
  • Proteger a infraestrutura garantindo a segurança dos endpoints, mensagens e ambientes Web.
  • Garantir disponibilidade 24x7.
  • Desenvolver uma estratégia de gerenciamento de informações que inclua um plano e políticas de retenção de informações.
Recomendações para os governos promoverem a proteção das infraestruturas críticas:
  • Os governos devem continuar investindo os recursos necessários para estabelecer programas governamentais para as infraestruturas críticas.
  • Os governos devem fazer parcerias com associações setoriais e grupos de empresas privadas para disseminar informações que divulguem as organizações e planos CIP governamentaisner with industry associations and private enterprise groups to disseminate information to raise awareness of government CIP organizations and plans.
  • Os governos devem enfatizar que a segurança não é suficiente para ser resiliente no caso dos atuais ciberataques.
Recursos:
Relatório em PDF: Pesquisa Symantec sobre Proteção de Infraestruturas Críticas