Relatório de Ameaças à Segurança na Nuvem 2019 da Symantec

A necessidade de impulsionar a segurança na nuvem contra as crescentes ameaças

O primeiro Relatório de Ameaças à Segurança na Nuvem da Symantec documenta como as organizações estão se adaptando às crescentes ameaças na nuvem, investigando questões como visibilidade, controle de aplicativos e dados e práticas de segurança imaturas. Os dados indicam que muitas não estão focadas nas ameaças em rápido crescimento quando se trata de segurança da computação em nuvem.

LER O RELATÓRIO

Visibilidade nebulosa. Há uma tempestade se formando.

Há uma tempestade de ameaças vindo nessa direção, e 85% dos usuários não estão utilizando as práticas recomendadas do Center for Internet Security. Receba as informações que você precisa para estar preparado fazendo o download do Relatório de Ameaças à Segurança na Nuvem 2019 da Symantec.

Prepare-se com os principais especialistas em segurança na nuvem.

Registre-se em nossos webcasts globais para entender como abordagens como Zero Trust, DevSecOps e um modelo de governança em nuvem podem ajudar você a se adaptar à crescente realidade da nuvem.

O que há na sua nuvem?

Você realmente sabe o que sua empresa está fazendo na nuvem?

Os profissionais de segurança subestimam o número de aplicativos em uso na nuvem e acreditam que esse número é cinco vezes menor do que realmente é.  Com uma superfície de ataque em rápido crescimento, a crescente base de usuários e a proliferação de dispositivos gerenciados e não gerenciados, você não pode se dar ao luxo de estar errado sobre a segurança da computação em nuvem. Saiba mais sobre o que realmente está acontecendo.

Seu negócio está na nuvem, sua segurança também deve estar

53% de toda a carga de trabalho de computação está na nuvem

A experiência e a largura de banda da equipe de TI são desafiadas pela falta de visibilidade dos aplicativos, armazenamentos de dados e cargas de trabalho distribuídos uniformemente pela nuvem.

O armazenamento de dados está em mais de um ambiente, de acordo com os entrevistados da pesquisa, distribuídos em infraestruturas como serviço (IaaS) privadas (18%) e públicas (18%), sistemas no local (18%) e SaaS (17%).

Falta de visibilidade e controle dos dados são as principais preocupações

Dois terços dizem que seus dados provavelmente estão à venda na Dark Web

O que é mais preocupante é o efeito de colapso que pode ocorrer com essa abordagem negligente dos controles de segurança na nuvem. A pesquisa externa relata que 68% dos entrevistados viram evidências diretas ou prováveis de que seus dados estavam à venda na Dark Web. Menos de um terço (31%) não acreditava que seus dados estivessem em risco.

As práticas de segurança imaturas prevalecem

65% das organizações não estão usando autenticação de vários fatores (MFA) em IaaS

Mais da metade dos entrevistados na pesquisa externa confirmou que suas práticas de segurança na nuvem não estavam maduras o suficiente para atender às demandas do uso crescente de aplicativos na nuvem e quase três quartos afirmaram ter experimentado um incidente de segurança na infraestrutura baseada em nuvem devido a essa imaturidade.

Os dados da Symantec confirmam o problema: 85% de seus clientes de carga de trabalho de infraestrutura em nuvem não estão usando as melhores práticas de segurança, conforme descrito pelo Center for Internet Security (CIS).

O CSTR aponta os reais riscos da nuvem

Conforme a nuvem provoca mudanças no cenário das ameaças, a maioria das empresas apresenta práticas de segurança na nuvem imaturas

Hoje, a nuvem é o próprio negócio. Assim como a nuvem transformou a maneira como as empresas fazem negócios, ela também transformou o cenário de ameaças à segurança cibernética. O Relatório de Ameaça à Segurança na Nuvem 2019 da Symantec revela que a maioria das empresas não está focada nas ameaças predominantes e está implementando práticas de segurança imaturas na nuvem. Leia este blog para obter informações sobre os verdadeiros desafios de segurança na nuvem enfrentados pelas empresas e o que fazer com eles.